quinta-feira, 7 de dezembro de 2017

APÓS PROMETER, HÁ 9 ANOS, O PROGRESSO DE SG, LULA VOLTA AO COMPERJ PARA TIRAR FOTO DO PREJUÍZO CAUSADO PELO SEU GOVERNO

O então presidente Lula com a ex-prefeita Aparecida Panisset, no lançamento da pedra fundamental do Comperj, em 2008; e o ex-presidente, nesta quinta-feira, discursando na porta de entrada do Complexo Petroquímico, fechado - Fotos: Divulgação e Ricardo Stuckert

Nesta quinta-feira (07/12), com sua Caravana pelo Rio, em passagem por Itaboraí, o ex-presidente Luis Inácio Lula da Silva fez um breve discurso na porta de entrada do Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro (Comperj), que se encontra com as obras paralisadas por conta de investigação sobre corrupção na Petrobras.

Segundo Lula, sua parada ali foi para fazer uma foto para mostrar o estado em que se encontra atualmente o Comperj - prometido por ele, em 2008, como o futuro promissor que iria transformar radicalmente a realidade de Itaboraí e, também, de São Gonçalo - quando disse então a ex-prefeita Aparecida Panisset que São Gonçalo ia deixar de ser o "patinho feio" da região (confira AQUI).

“O Comperj está fechado, mas eu teimei de vir aqui porque queria fazer uma foto. É inaceitável que um País em meio a essa crise econômica e esse desemprego deixe parada uma obra dessa magnitude por irresponsabilidade de um governo", disse Lula, na manhã desta quinta-feira, diante de militantes petistas.

“Eu vim até aqui para mostrar que isso não é correto", discursou Lula, apontando para as instalações fechadas. “Se estivesse produzindo, quanto imposto estaria sendo gerado, quantos empregos? Parada, ela só dá prejuízo e desespero. O Comperj chegou a gerar 20 mil empregos", afirmou. 

De fato, Lula, é lamentável o estado atual do Comperj, a crise econômica que assola o país e o progresso prometido por você que não chegou a Itaboraí e tampouco em São Gonçalo. Mas você se esqueceu de dizer que o problema do Comperj foi provocado por atos de corrupção na Petrobras promovidos em seu governo e de sua sucessora, Dilma Rousseff e, também, por seus aliados governantes do Rio de Janeiro.

Ainda bem, Lula, que temos a internet (onde as informações estão ao acesso de todos) para nos deixar bem informados sobre os prejuízos causados à Petrobras pelo seu governo. Veja abaixo o que diz um trecho de uma matéria da Folha, publicada ontem (06/12), sobre uma auditoria feita pelo Tribunal de Contas da União (TCU):

"Uma auditoria do TCU (Tribunal de Contas da União) indica responsabilidade do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva em prejuízos nas obras da Petrobras investigadas na Lava Jato.

Relatório da corte, obtido pela reportagem, diz que o então presidente liberou em 2010 o repasse de recursos para empreendimentos que, já naquela época, tinham irregularidades graves e, conforme a lei orçamentária aprovada pelo Congresso, deveriam ter sido paralisados. A continuidade dos serviços teria causado "dano ao erário".

Procurada, a defesa de Lula não comentou.

A lista inclui obras do Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro (Comperj) e das refinarias Abreu e Lima, em Pernambuco, e Presidente Getúlio Vargas (Repar), no Paraná, tocadas por empreiteiras acusadas, a partir de 2014, de envolvimento no esquema de cartel e corrupção que sangrou a estatal. Só no caso da Repar, que será julgado pelos ministros do tribunal nesta quarta (5), a perda apontada é de R$ 1,3 bilhão."

Abaixo, mais alguns links que nos dão uma referência de o porquê o Comperj e a nossa região estarem hoje vivenciando uma triste realidade produzida pelo governo petista:

Lula caçoa do país








OPORTUNIDADES DE EMPREGO: 620 VAGAS EM TODO O ESTADO


O Governo do Estado do Rio de Janeiro, por meio da Secretaria de Estado de Trabalho e Renda (Setrab) e do Sistema Nacional de Empregos (Sine-RJ), informa a existência de vagas de trabalho 620 com carteira assinada em várias regiões do estado. Com exigência de formação entre o ensino fundamental incompleto e o superior completo e com Salários que podem chegar até R$ 5 mil. São para ambos os sexos. São 141 colocações para deficientes.

A Capital tem 278 vagas, sendo 125 para Operador de Telemarketing Passivo, 50 para Jardineiro, 20 para Tratorista Operador de Roçadeira, 18 para Auxiliar de Limpeza, 15 para Farmacêutico, dez (10) para Ajudante de Cabista, dez (10) para Ajudante de Lanchonete, dez (10) para Operador de Caixa, entre outras.

Na Região Metropolitana são 30 vagas, sendo 15 para Vendedor de Plano de Saúde. A Região Serrana tem 47 chances em diversas áreas. No Médio Paraíba são 123 possibilidade de emprego, com 100 (cem) para Atendente em Central de Telemarketing. Entre as oportunidades para deficientes existem 40 para Vendedor do Comércio Varejista, 38 para Embalador à Mão e 29 para repositor de Mercadoria, entre outras.

É importante salientar que as unidades do Sistema Nacional de Empregos (Sine-RJ) não recebem currículos e que a inscrição para se candidatar às vagas coletadas pela secretaria têm que ser preenchidas nos postos Sine/Setrab ou no site maisemprego.mte.gov.br. A secretaria também mantém em seu site o PDF com a distribuição de chances existentes por região e função.

Ao se dirigir a uma unidade Sine/Setrab para se candidatar a uma vaga, o trabalhador deve verificar se o perfil que tem cadastrado no sistema é compatível com a oportunidade existente. Caso tenha interesse em ocupar alguma outra função que não esteja registrada em sua ficha, peça ao atendente a orientação de como poderá concorrer a outras chances que se encontrem à disposição.

A Setrab esclarece que o banco de dados de emprego pode sofrer alterações momentâneas como inclusão/fechamento de vagas ou ampliação/redução de ofertas. O Painel de Vagas é publicado às quintas-feiras.

domingo, 3 de dezembro de 2017

TSE LANÇA VERSÃO DIGITAL DO TÍTULO DE ELEITOR


A Justiça Eleitoral lançou na última sexta-feira (1º) o e-Título, aplicativo que permitirá aos eleitores acessarem uma via digital do título eleitoral por meio do seu smartphone ou tablet. A novidade é uma iniciativa do Tribunal Regional Eleitoral do Acre (TRE-AC) que foi abraçada pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e será adotada em todo o país.

No aspecto sustentável, o e-Título surge como alternativa à emissão de títulos eleitorais em papel e trará ainda economia perceptível na redução dos custos da Justiça Eleitoral, como a emissão de segundas vias dos títulos extraviados, suprimentos de impressora, entre outros. Para o eleitor, o benefício virá na facilidade de ter os seus dados eleitorais sempre seguros e disponíveis, diminuindo os riscos de extravios e danos ao título de eleitor.

Durante a cerimônia de lançamento do aplicativo, o presidente do TSE, ministro Gilmar Mendes, afirmou que a Justiça Eleitoral busca estar na vanguarda das inovações tecnológicas que possam proporcionar uma prestação de serviço ao eleitor mais rápida, transparente, segura e confiável.

“É com esse intuito que hoje lançamos o e-Título, aplicativo que possibilitará ao eleitor trazer consigo, em seu smartphone, uma versão digital de seu título de eleitor. Além de proporcionar uma grande comodidade ao eleitor, essa nova ferramenta também representará uma economia relevante à Justiça Eleitoral, com a diminuição de custos com impressão de documentos em papel”, explicou.

Assista ao vídeo sobre o aplicativo do e-Título:

sábado, 2 de dezembro de 2017

STF NEGA PRISÃO DOMICILIAR PARA NEILTON MULIM

Prisão do ex-prefeito Neilton Mulim, em agosto passado, por fraude de R$ 40 milhões na iluminação pública - Foto: Severino Silva / Agência O Dia

Do STF:

O ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal, negou seguimento (julgou inviável) ao Habeas Corpus (HC) 150062, impetrado pela defesa de Neilton Mulim da Costa, ex-prefeito de São Gonçalo (RJ), preso preventivamente pela suposta prática de crime de responsabilidade, fraude a licitação e organização criminosa. O ministro considerou aplicável ao caso a Súmula 691 do STF, no sentido do descabimento de habeas corpus contra decisão monocrática de indeferimento de liminar proferida pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ).

O ex-prefeito teve a prisão preventiva decretada pelo juízo da 5ª Vara Criminal da Comarca de São Gonçalo em agosto, juntamente com dez corréus, em decorrência das investigações realizadas na “Operação Apagão”, instaurada para apurar o cometimento de crimes contra a administração pública por empresários responsáveis pela execução dos serviços de manutenção de iluminação pública em São Gonçalo e por servidores e agentes públicos que, segundo o Ministério Público estadual, se omitiram na fiscalização dos serviços, gerando danos ao erário. O Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJ-RJ) rejeitou habeas corpus lá impetrado, e o relator de outro HC no STJ negou o pedido de liminar.

No HC 150062, a defesa de Neilton Costa sustentava que a prisão preventiva foi imposta mediante fundamentação “genérica, inidônea e despropositada, sem apontar fatos que evidenciem a necessidade de custódia cautelar”, e que o acórdão do TJ-RJ se limitou a reproduzir os fundamentos da primeira instância. Outro argumento foi o de que as imputações atribuídas ao ex-prefeito se referem à suposta violação de deveres funcionais inerentes ao exercício do mandato político, do qual não é mais titular. Finalmente, o advogado alegou que o ex-prefeito é portador de “doença gravíssima e incompatível com o ambiente insalubre do cárcere”. Por isso, pedia a revogação da prisão para que ele pudesse responder ao processo em liberdade, ou a sua substituição por recolhimento domiciliar.

Decisão

Ao negar seguimento ao HC, o ministro Edson Fachin explicou que o STF tem posição firme pela impossibilidade de admissão de habeas corpus contra decisão proferida por membro de Tribunal Superior (Súmula 691), pois, de acordo com o artigo 102, inciso I, alínea “i”, da Constituição Federal, sua competência originária se dá apenas quando a autoridade coatora for o Tribunal, e não a autoridade que proferiu decisão monocrática.

Fachin observou ainda que o deferimento de liminar em habeas corpus é medida excepcional, e somente se justifica quando a situação demonstrada nos autos representar manifesto constrangimento ilegal. “No presente caso, a despeito das argumentações relativas ao quadro de saúde do paciente, não há comprovação de que o estabelecimento prisional em que se encontra custodiado seja incompatível com o tratamento adequado”, afirmou.

Segundo o relator, a ausência de demonstração da imprescindibilidade, no momento, da medida domiciliar para fins de tratamento afasta a ilegalidade apontada. O ministro ressaltou ainda que não houve pronunciamento de mérito pelo STJ, “de modo que se mostra recomendável aguardar a manifestação conclusiva do juízo natural”.

Leia também:


quarta-feira, 29 de novembro de 2017

NEILTON MULIM SERÁ JULGADO MÊS QUE VEM POR FRAUDE DE R$ 40 MILHÕES NA ILUMINAÇÃO PÚBLICA

Ex-prefeito Neilton Mulim numa entrevista ao RJTV - Foto: Reprodução/arquivo RJTV

Longe dos holofotes políticos e da mídia desde que foi preso, em agosto passado, acusado de fraude de R$ 40 milhões na iluminação pública do município, o ex-prefeito Neilton Mulim voltou ao noticiário por conta de seu julgamento que acontecerá no próximo dia 13 de dezembro, no Fórum do Colubandê.

Além de Mulim, 10 pessoas foram presas: o ex-secretário municipal de Urbanismo e Infraestrutura de São Gonçalo, Francisco José Rangel de Moraes; o ex-servidor comissionado, Davi Luz Fonseca; os servidores Wellington de Sant’anna Souza, Marco Antônio Monteiro Garcia, Marcelo Ferreira Neves e Fagner Mota Chaves, assim como os representantes da Compillar, Paulo Roberto de Souza Cruz; Marcelo Araújo dos Santos, Luana Ferreira Neves e Wanderson Gonçalves Lopes.

De acordo com o Ministério Público, o grupo era suspeito de cometer irregularidades na contratação da empresa de iluminação pública, através da facilitação da licitação para fins políticos.

Assista AQUI a matéria do RJTV sobre a prisão do ex-prefeito.

terça-feira, 28 de novembro de 2017

1.066 VAGAS DE EMPREGO EM TODO O ESTADO


O Governo do Estado do Rio de Janeiro, por meio da Secretaria de Estado de Trabalho e Renda (Setrab) e do Sistema Nacional de Empregos (Sine-RJ), informa a existência de vagas de trabalho 1.066 com carteira assinada em várias regiões do estado. Com exigência de formação entre o ensino fundamental incompleto e o superior completo e com Salários que podem chegar até R$ 5 mil. São para ambos os sexos. São 166 colocações para deficientes.

A Capital tem 703 vagas, sendo 162 para Vendedor no Comércio Varejista, 150 para Operador de telemarketing Receptivo, 109 oportunidades para Vendedor Interno, 50 para Jardineiro, 50 para Garçom, 50 para Auxiliar nos Serviços de Alimentação, 35 para Motorista de Caminhão Guincho, 20 para Tratorista, 11 para Operador de Telemarketing Ativo, dez (10) para Costureiro em Geral, dez (10) para Açougueiro, dez (10) para Atendente de Lanchonete, entre outras.

Na Região Metropolitana são sete (7) vagas. A Região Serrana tem 180 chances, com 65 para Costureiro na Confecção em Série, 23 para Vendedor em Domicílio, nove (9) para Vendedor do Comércio Varejista. No Médio Paraíba são dez (10) possibilidade de emprego. Entre as oportunidades para deficientes existem 38 para Embalador à Mão, 23 par Operador de Caixa 20 para Vendedor do Comércio Varejista, 19 para faxineiro, 13 para Auxiliar nos Serviços de Alimentação, 12 para Alimentador de Linha de Produção, 12 para Almoxarife, dez (10) para Copeiro, entre outras.

É importante salientar que as unidades não recebem currículos e que a inscrição para se candidatar às vagas coletadas pela secretaria têm que ser preenchidas nos postos Sine/Setrab ou no site maisemprego.mte.gov.br. A secretaria também mantém em seu site o PDF com a distribuição de chances existentes por região e função.

Ao se dirigir a uma unidade Sine/Setrab para se candidatar a uma vaga, o trabalhador deve verificar se o perfil que tem cadastrado no sistema é compatível com a oportunidade existente. Caso tenha interesse em ocupar alguma outra função que não esteja registrada em sua ficha, peça ao atendente a orientação de como poderá concorrer a outras chances que estejam à disposição.

A Setrab esclarece que o banco de dados de emprego pode sofrer alterações momentâneas como inclusão/fechamento de vagas ou ampliação/redução de ofertas. Para manter o Painel de Vagas o mais atualizado possível, a Secretaria passou a divulgá-lo duas vezes na semana, sendo uma na terça-feira à tarde e outra na sexta-feira.

terça-feira, 21 de novembro de 2017

PARA EVITAR TRANSTORNOS EM CIMA DA HORA, TRE ALERTA ELEITORES GONÇALENSES PARA O CADASTRAMENTO BIOMÉTRICO


Até o momento, a biometria em São Gonçalo, na Região Metropolitana, cadastrou cerca de 37 mil eleitores, o que corresponde a apenas 5% do eleitorado total no município. Iniciado em setembro de 2015, o procedimento ainda não é obrigatório para os eleitores locais, mas a Justiça Eleitoral recomenda que os eleitores antecipem sua ida aos cartórios, a fim de evitar filas no futuro. Para agendar o atendimento, o interessado deve acessar www.tre-rj.jus.br/agendamento ou ligar para (21) 3436-9000.

O procedimento é simples, rápido (dura menos de 15 minutos) e o eleitor já sai do cartório com o título e apto para votar pelo sistema de identificação biométrica. No momento do atendimento, o eleitor deverá ter em mãos documento de identidade oficial, comprovante de residência recente e o título de eleitor (se possuir). Todos os eleitores de São Gonçalo podem realizar o cadastramento, inclusive aqueles cujo voto é facultativo, como os menores de 18 anos, os maiores de 70 anos e os analfabetos. A meta do TSE é de que todos os eleitores do país estejam cadastrados até 2022.

Atualmente, a biometria já está disponível para a grande maioria do eleitorado fluminenses: dos 92 municípios do estado, apenas 19 ainda não contam com kits biométricos. No estado do Rio de Janeiro, mais de 1,43 milhão de eleitores já fizeram o procedimento (cerca de 11% do total de 12.313.721). Os municípios de Búzios, Niterói e São João da Barra já passaram pelo cadastramento biométrico obrigatório dos eleitores, enquanto Rio da Ostras realiza o procedimento até 9 de dezembro, e Queimados, até 17 de março de 2018.

Tecnologia

O sistema com leitor biométrico identifica as impressões digitais e impede que alguém vote no lugar de outro eleitor, ou mesmo que utilize um documento falso de identidade para tirar o título, já que cada pessoa possui impressões digitais únicas. Quando comparecer ao posto de atendimento, o eleitor fará a coleta da impressão digital, irá tirar fotografia digital e também atualizará os dados cadastrais. No dia da eleição, ele será identificado em sua seção eleitoral por meio da impressão digital, e o sistema biométrico irá liberar a urna eletrônica para votação. 

Fonte: TRE-RJ

segunda-feira, 20 de novembro de 2017

APARECIDA PANISSET É CITADA EM DELAÇÃO DO EX-MARQUETEIRO DE SÉRGIO CABRAL

Marqueteiro Renato Pereira cita a ex-prefeita Aparecida Panisset em sua proposta de delação - Fotos: Reprodução RJTV e Divulgação

Em sua proposta de delação, divulgada em vídeo no RJTV 1ª Edição desta segunda-feira (20/11), Renato Pereira, ex-marqueteiro das campanhas de Sérgio Cabral, Pezão e Eduardo Paes, afirma que prestou também, informalmente, serviços publicitários a ex-prefeita de São Gonçalo, Aparecida Panisset.

Segundo Pereira, a Construtora Delta, que na época fazia serviços de asfaltamento na cidade, ficou responsável pelo pagamento de R$ 100 mil mensais, em espécie, pelos seus serviços de marketing político prestados a Panisset.

No mesmo vídeo, o marqueteiro também falou sobre pagamento de caixa dois na campanha de reeleição do prefeito de Niterói, Rodrigo Neves. Assista AQUI a parte referente a ex-prefeita Aparecida Panisset, a partir do tempo 8:45 do vídeo.

sexta-feira, 17 de novembro de 2017

POUCO SE LIXANDO PARA A AMEAÇA DE GAROTINHO, NIVALDO MULIM VOTA CONTRA AS PRISÕES DE PICCIANI, MELO E ALBERTASSI

Deputados Nivaldo Mulim (Foto: Divulgação), Jorge Picciani, Paulo Melo e Edson Albertassi (Foto: Marcio Alves/Agência O Globo) 

Presos ontem (16/11) por conta da Operação Cadeia Velha, no âmbito da Lava Jato, os deputados peemedebistas Jorge Picciani, Pedro Melo e Edson Albertassi graças aos votos de 39 deputados contra 19, em votação realizada nesta sexta-feira (17/11), na Alerj, conseguiram se livrar da cadeia. 

Ameaçados de expulsão pelo presidente do Diretório Estadual do PR no Rio de Janeiro, Anthony Garotinho, caso votassem contra as prisões dos peemedebistas, os deputados da legenda pouco se lixaram para a ameaça de Garotinho e votaram pela libertação de Picciani, Melo e Albertassi. 

Os deputados do PR que votaram a favor dos peemedebistas foram o gonçalense Nivaldo Mulim e o mageense Renato Cozzolino. Já Bruno Dauaire, se absteve.

De acordo com o RJTV 2ª Edição desta sexta-feira, o PR vai expulsar Nivaldo Mulim e Renato Cozzolino na semana que vem. À conferir.

Veja abaixo como foi a votação de todos os deputados estaduais:

André Ceciliano (PT) - Sim
Andre Correa  (DEM) - Sim
Andre Lazaroni (PMDB) - Sim
Átila Nunes (PMDB) - Sim
Bebeto (PDT) - Ausente
Benedito Alves (PRB) - Não
Bruno Dauaire ( PR) - Abstenção
Carlos Macedo (PRB) - Não
Carlos Minc (sem partido) - Não
Chiquinho da Mangueira (PODE) - Sim
Christino Áureo (DEM) - Sim
Cidinha Campos (PDT) - Sim
Comte Bittencourt (PPS) - Ausente
Coronel Jairo (PMDB) - Sim
Daniele Guerreiro (PMDB) - Sim
Dica - Jorge Moreira Theodoro ( PODE) - Sim
Dionisio Lins (PP) - Sim
Dr. Deodalto (DEM) - Ausente
Dr. Julianelli (REDE) - Não
Edson Albertassi (PMDB ) - Ausente
Eliomar Coelho (PSOL) - Não
Enfermeira Rejane (PCdoB) - Não
Fábio Silva (PMDB) - Sim
Fatinha (SDD) - Sim
Filipe Soares (DEM) - Sim
Flávio Bolsonaro (PSC) - Não
Flavio Serafini ( PSOL) - Não
Geraldo Moreira (PODE) - Ausente
Geraldo Pudim (PMDB) - Sim
Gilberto Palmares (PT) - Não
Gustavo Tutuca (PMDB) - Sim
Iranildo Campos (PSD) - Sim
Jair Bittencourt (PP) - Sim
Jânio Mendes (PDT) - Sim
João Peixoto (PSDC) - Sim
Jorge Picciani (PMDB) - Ausente
Lucinha (PSDB) - Ausente
Luiz Martins (PDT) - Sim
Luiz Paulo (PSDB) - Não
Marcelo Freixo (PSOL) - Não
Marcelo Simão (PMDB) - Sim
Marcia Jeovani (DEM) - Sim
Márcio Canella (PSL) - Sim
Márcio Pacheco (PSC) - Não
Marco Figueiredo (PROS) - Sim
Marcos Abrahão (PTdoB) - Sim
Marcos Muller (PHS) - Sim
Marcus Vinicius (PTB) - Sim
Martha Rocha (PDT) - Não
Milton Rangel ( DEM) - Sim
Nivaldo Mulim ( PR) - Sim
Osorio ( PSDB) - Não
Paulo Melo (PMDB) - Ausente
Paulo Ramos (PSOL) - Sim
Pedro Augusto (PMDB) - Sim
Rafael Picciani ( PMDB) - Ausente
Renato Cozzolino (PR) - Sim
Rosenverg Reis (PMDB) - Sim
Samuel Malafaia (DEM) - Não
Silas Bento (PSDB) - Sim
Thiago Pampolha (PDT) - Sim
Tia Ju (PRB) - Ausente
Tio Carlos (SDD) - Sim
Wagner Montes (PRB) - Não vota
Waldeck Carneiro (PT) - Não
Wanderson Nogueira (PSOL) - Não
Zaqueu Teixeira (PDT) - Sim
Zé Luiz Anchite (PP) - Ausente
Zeidan ( PT) - Não
Zito (PP ) - Sim

DEPUTADO NIVALDO MULIM É CONTRA OU A FAVOR DAS PRISÕES DE PICCIANI, MELO E ALBERTASSI?

Deputado Nivaldo Mulim - Foto: Divulgação

Assim como os deputados federais de São Gonçalo e do Brasil inteiro ficaram expostos e foram cobrados em relação ao posicionamento de seus votos na votação das duas denúncias de corrupção contra o presidente Michel Temer, agora, são os fluminenses que estão de olho nos votos dos deputados do Estado sobre a votação que acontecerá nesta sexta-feira (17/11), na Alerj, que poderá livrar ou não da cadeia os deputados peemedebistas Jorge Picciani (presidente da Alerj), Pedro Melo e Edson Albertassi.

Os gonçalenses estão curiosos para saber como será o voto de seu único deputado estadual, Nivaldo Mulim (PR). 

Vale destacar que o presidente de seu partido no Estado do Rio, Anthony Garotinho, já ameaçou expulsar os deputados do PR que votarem contra as prisões de Picciani, Melo e Albertassi.

Abaixo, a capa desta sexta-feira do jornal Extra: