sábado, 4 de outubro de 2014

Em quem votar: no candidato de fora ou no candidato de São Gonçalo?


Faltando poucas horas para os eleitores se dirigirem às urnas para digitar seus votos, um dilema eleitoral tem permeado a mente de uma parte do eleitorado gonçalense: votar no candidato de fora ou no candidato de São Gonçalo?

Como os leitores devem se lembrar, nas eleições municipais de 2012, o Território Gonçalense foi categoricamente contra a candidatura de um candidato carioca à Prefeitura de São Gonçalo. Na minha opinião, o chefe do Poder Executivo gonçalense não pode ser um forasteiro, ou seja, de fora. Tem que ter raízes e identidade com a cidade.

Porém, no que diz respeito ao Poder Legislativo, a minha opinião é diferente, pois tanto a função quanto a abrangência territorial de um deputado não são iguais as de um prefeito. Os deputados estaduais e federais representam o Estado do Rio de Janeiro como um todo. O estadual, na Alerj, e o federal, na Câmara Federal, em Brasília. Portanto, neste caso, não vejo necessidade de votar em um candidato especificamente de São Gonçalo.

E vale ainda ressaltar a questão das bandeiras políticas. Há candidatos de fora que defendem causas ou ideologias que vão ao encontro dos anseios de muitos eleitores gonçalenses.

Contudo, embora respeitando a liberdade de escolha de nossos eleitores, ainda acho que o ideal seria votar em um candidato de São Gonçalo. A meu ver, um candidato da cidade tenderá a defender com mais atenção os nossos interesses na Alerj ou na Câmara Federal. Além da proximidade e autoridade que teremos para fiscalizá-lo e cobrá-lo as promessas de campanha, já que ele é do município.

Quanto àquela velha crítica que os deputados gonçalenses não fazem nada pela cidade, embora eu concorde que em determinados assuntos ligados a São Gonçalo, realmente, eles deixam muito a desejar, não podemos jogar todos na vala comum.

Vale destacar que nós temos hoje várias ferramentas para avaliar o desempenho dos deputados. Através da internet podemos obter informações relevantes sobre a trajetória e a atuação política de todos os parlamentares. Além dos sites dos candidatos, o eleitor tem à sua disposição os seguintes sites para pesquisa: Alerj, Câmara Federal, Atlas Político, Diap, entre outros. E tem também os exclusivos sobre os candidatos que estão concorrendo nestas eleições: Excelência e TRE.

Então, caro leitor, se você ainda não sabe em quem votar, faça uma pesquisa e analise com atenção os candidatos. O importante é não votar no escuro. Valorize o seu voto, vote com consciência.

E se puder votar em um candidato de São Gonçalo, melhor ainda. Esta é a oportunidade que nós temos para criar uma nova realidade política em nossa cidade. Pense nisto.

E bom voto no domingo!
  
Leia também:


7 comentários:

  1. Se os de casa nao fazem nada,como contar com os forasteiro,aparecida inelegivel,e marcinho,nao moram mais SG,eles estao morando em Icarai,eles sao como Sarnei,maram no Maranhao,e e candidado do Acre,porque tem casas no Acre

    ResponderExcluir
  2. A culpa dos deputados de São Gonçalo não fazer nada pela nossa sofrida cidade é dos eleitores que não cobram nada. Mas também como cobrar se no dia seguinte após a eleição a grande maioria nem se lembra mais em quem votou para deputado? Anderson Martins

    ResponderExcluir
  3. Os próprios políticos de São Gonçalo desmontam este discurso de votar só em candidatos da cidade. A Graça andou pedindo votos pro Eduardo Cunha, pro Cabral Filho, Soraya Santos, o Nivaldo pro Agnaldo Timóteo e Clarissa, Adolfo (que pra mim não é forasteiro) pede votos pra Jandira Feghali e outros do Rio. A única chapa 100% gonçalense é o do Marcio com sua irmã Aparecida. O resto tudo pede voto pra gente de fora. Assim não dá, os próprios políticos da cidade pendem votos pra forasteiros. Durma-se com um barulho desses!

    ResponderExcluir
  4. PAULINHO DO ALCÂNTARA4 de outubro de 2014 13:47

    TAMBÉM SOU DE ACORDO QUE O PREFEITO DE SÃO GONÇALO TEM QUE SER DAQUI. TER TER PISADO NA LAMA E CONHECER A FUNDO A NOSSA GENTE SIMPLES. NESTE PONTO SOU BAIRRISTA MESMO.

    ResponderExcluir
  5. Há muito tempo pensava assim também quanto à eleger um candidato "da terra" para prefeito, pois achava que conhecendo de perto nossas mazelas, atenderiam com mais propriedade, nossos anseios, porém, nas últimas décadas, sempre fizemos isso e o que conseguimos? Ezequiel, horrível. João Bravo, o pior até hoje. Charles, nem se fala. Panisset até fez um primeiro mandato razoável mas no segundo se perdeu e estragou tudo. Mulim, ninguém sabe, ninguém viu. Tem a terceira pior metade de mandato de toda a história de São Gonçalo; mas ainda pode se redimir com a outra metade. Enfim, acredito que todos esses são "da casa" e não fizeram o que precisávamos, portanto, cai por terra essa tese. Mais vale um forasteiro cujo lema é "fazer o bem sem olhar a quem" do que um "puro sangue" que não faz absolutamente nada. Por isso, nas próximas eleições para prefeito, vou deixar mais a certidão de nascimento deles de lado e me focar simplesmente no caráter, propostas, experiências etc, até porque só para dar um exemplo bobo, pois muitos acham isso, um candidato carioca que se elegesse prefeito de São Gonçalo, jamais teria como desviar verbas da cidade para construir uma escola no Rio. Mas quanto à Estadual e Federal, sou totalmente de acordo em escolher gonçalenses porque por mais que talvez não sejam tão bons como esperamos que sejam, sempre vão tentar "puxar uma sardinha" pra São Gonçalo, coisa que alguém que não seja, a probabilidade de conseguirmos algo fica mais distante. Mas tem muito candidato bom gente. Cuidado pra não elegermos um aí com campanha absurdamente milionária que com certeza nos será cobrado com juros e correção, se eleito for. Espero que não. Um bom voto consciente a todos.

    ResponderExcluir
  6. acabei de ver na lista de candidatos eleitos,familia Panisset ficou de fora nesta eleiçao em 2014.graças a DEUS

    ResponderExcluir
  7. Os votos deles ainda não foram computados pois os ditos impugnados só serão julgados no final do mês. Se forem condenados, os votos se perdem, mas se forem inocentados e tiverem alcançado o número suficiente para se elegerem, estarão dentro.

    ResponderExcluir