segunda-feira, 15 de novembro de 2010

São Gonçalo, berço da Umbanda

Tenda Nossa Senhora da Piedade - primeiro terreiro de Umbanda do país
Rua Floriano Peixoto, 30 Neves - São Gonçalo

Além do feriado da Proclamação da República, hoje também é um dia de homenagem para os umbandistas de todo o Brasil. No dia 19 de março de 2008, foi aprovado o Projeto de Lei 5687/05, do deputado Carlos Santana (PT-RJ), que instituiu o Dia Nacional da Umbanda, a ser comemorado anualmente em 15 de novembro.

Mas o que muita gente não sabe é que a Umbanda, uma das religiões mais populares do país, é genuinamente brasileira e gonçalense. Surgiu exatamente no dia 15 de novembro de 1908, no bairro de Neves, em São Gonçalo.


Zélio Fernandino de Moraes

Naquele dia, Zélio Fernandino de Moraes, um jovem rapaz de 17 anos, de tradicional família gonçalense, ao receber o Caboclo das Sete Encruzilhadas, em sua primeira manifestação mediúnica numa sessão espírita, foi orientado pela entidade a fundar a Umbanda.

O primeiro terreiro que recebeu o nome de Tenda Espírita Nossa Senhora da Piedade, foi instalado na Rua Floriano Peixoto, 30 - Neves. Desta tenda se originaram mais sete, como pólos da difusão da religião umbandista. Os seus rituais eram então muito influenciados pelo Catolicismo e pelo Kardecismo.

Em 1963, após 55 anos de atividades à frente da Tenda Nossa Senhora da Piedade, Zélio entregou a direção dos trabalhos as suas filhas Zélia e Zilméa de Moraes, e continuou ao lado de sua esposa Isabel Moraes trabalhando na Cabana de Pai Antônio, em Boca do Mato, distrito de Cachoeiras de Macacu.



Mas durante o período que morou em São Gonçalo, Zélio não se dedicou apenas à sua crença. Como era norma não receber recompensa pelo bem distribuído, dedicava-se às atividades profissionais normais, administrando os negócios de seu pai. Além desse trabalho, teve também uma rápida incursão pela vida política da cidade.

Em 18/05/1924, elegeu-se vereador, e em 10/01/1927, foi reeleito para um segundo mandato, empossado no dia 30 seguinte e escolhido por seus pares, na mesma data, para ser secretário do Legislativo gonçalense. Após cumprir o mandato de três anos, afastou-se definitivamente da política.

Zélio faleceu no dia 3 de outubro de 1975 em Cachoeiras de Macacu. Como homenagem, a Câmara Municipal de São Gonçalo batizou com seu nome uma rua no bairro da Mangueira.

Como podemos observar, meus caros leitores, a nossa cidade é rica de fatos históricos. Além desse relatado acima, temos outros importantes como a primeira corrida automobilista do país realizada aqui, a primeira residência para imigrantes (Ilha das Flores), o primeiro Clube Naturista do Brasil (Ilha do Sol), a Fazenda Engenho Novo (Monjolos), que era refúgio de descanso de D. Pedro II, entre outros.

Portanto, se faz mais do que necessário a construção de um Museu Histórico Gonçalense, como forma de preservar, difundir e valorizar a história do nosso município junto à população e aos turistas.

Prefeita e outros responsáveis pela cultura gonçalense, por favor, façam alguma coisa para engrandecer as nossas riquezas culturais!

Fontes:

9 comentários:

  1. Que matéria super interessante. Não sabia que a Umbanda era brasileira e muito menos que tivesse surgido aqui em Sçao Gonçalo. Pra mim era africana e disseminada primeiro na Bahia.
    Parabéns pelo blog. Super informativo!

    ResponderExcluir
  2. Wilson S. Vasconcelos19 de novembro de 2010 09:11

    Há também a história do Palacete do Mimi, um local bastante prestigiado pela aristocracia do século XX, diziam que era um local majestoso, digno da época da incipiente e próspera manchester fluminense, construído com materiais trazidos da europa: mármores italianos, vidraçaria francesa, maquinaria alemã... Ficava ali onde hoje se situa o então cemitério São Miguel, contudo, segundo comentam os antigos foi demolido, pois houve um incêndio num circo em Niterói. Bom, como não havia espaço para acomodar esses cidadãos e como o Palacete do Mimi já havia perdido a sua Majestade devido a seguidas crises tiveram a "grande ideia" de utilizar o espaço para ser o então cemitério...

    ResponderExcluir
  3. Pois é, Wilson, essa falta de preservação com a nossa história me entristece muito.

    Infelizmente, os políticos gonçalenses que governaram no passado e alguns dos dias atuais pecam pela falta de visão.

    Pela quantidade de fatos históricos ricos que temos em nosso município já era para nós termos um museu na cidade. Espero que um dia possamos ter.

    Abraço!

    ResponderExcluir
  4. Parabéns, Vagner, por esta pequena pesquisa de algo que entre os gonçalenses é como cabeça de bacalhau: sabe que tem mas ninguém viu.
    Peço permissão para divulgar na página da Sociedade de Artes (SAL).
    A dúvida surgiu quando Darcy Ribeiro citou Niterói como o berço da Umbanda. Para ele, como quase todo o brasileiro pensa, as duas cidades seriam uma só.
    Em tempo: a rua Marechal Floriano tem partes no bairro Covanca. Seria ali o local inicial?

    ResponderExcluir
  5. Pois é, Alexandre, um fato histórico tão rico e infelizmente desprezado em nossa cidade.

    Quanto à Rua Marechal Floriano, de fato, ela pega partes do Covanca. Antes de fazer a matéria estive nesta rua procurando a localização do Centro. Meu objetivo era fotografá-lo hoje, mas não encontrei o número 30.

    A parte onde poderia estar localizado o número 30 fica naquela travessa pararela ao presídio, mas ninguém ali soube me informar. Pelo aspecto do local, parece que tudo ali foi invadido. Percebi que os moradores atuais ficaram receosos com a minha presença e estranharam quando lhes disse o que eu estava procurando.

    Fiquei frutrado por não ter encontrado o local deste rico fato histórico de São Gonçalo. É uma pena...

    Meu caro, você tem a minha permissão para divulgar a matéria na página da Sociedade de Artes. Fique à vontade.

    Grande abraço!

    ResponderExcluir
  6. Algo precisa ser feito para resgatar o valor cultural desta religião na história de São Gonçalo. Com os evangélicos dominando a cidade, daqui a pouco eles vão até rasgar as páginas dos livros que mencionam que a umbanda nasceu aqui.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. _Hoje no local onde nasceu a umbanda encontra-se um depósito, foi feito varios pedidos a prefeitura, através UEERJ, e não logrou nenhum resultado, pois a insenssatez do governantes não deixou que ali no local historico houve um museu em memoria,visto que apesar de várias tentativa de falar com a prefeita não nos foi dado este direito.

      Excluir
  7. Muito interessante. Sou de São Gonçalo e nasci em Neves, só agora sei que a umbanda surgiu lá.

    ResponderExcluir
  8. Feliz em saber que a umbanda deu origem em minha cidade, especificamente no bairro que nasci.

    ResponderExcluir