sexta-feira, 11 de abril de 2014

“Fiasco” do Comperj frustra progresso de São Gonçalo


No discurso de lançamento da pedra fundamental do Pólo Petroquímico de Itaboraí e da pedra fundamental do Centro de Inteligência de São Gonçalo, em 14 de junho de 2006, o então presidente Lula vislumbrou um futuro promissor para São Gonçalo nos próximos cinco anos seguintes:

“O que está acontecendo hoje, no Rio de Janeiro, o que está acontecendo aqui, em São Gonçalo, nós só vamos ter noção daqui a uns 5 ou 6 anos. Isso é como uma planta que a gente planta, coloca embaixo da terra, a gente não vê, muitas vezes a gente nem sabe o que tem lá embaixo e, de repente, ela nasce, vai ficando com o caule mais grosso, dá os galhinhos, as folhas, e daqui a pouco está dando fruto.

O que nós estamos fazendo aqui é uma revolução no estado do Rio de Janeiro, é uma revolução em São Gonçalo, porque o Complexo Petroquímico do Rio de janeiro é o maior investimento nos últimos tempos no Brasil. Quando ele estiver funcionando, no processo de construção, que vai começar, se Deus quiser, em janeiro de 2007, vai gerar, direta e indiretamente, milhares e milhares de empregos aqui na região.

Quando o pólo estiver funcionando e outras indústrias vierem para cá, vai gerar mais milhares de empregos nessa região, portanto, nós estamos começando desde já, avisando para vocês: São Gonçalo será o maior centro de inteligência na formação de mão-de-obra ligada à Petrobras, ao Pólo Petroquímico, à indústria naval; será o maior pólo de inteligência da América Latina. Milhares de jovens terão a oportunidade de começar e se formar aqui, para quando a empresa estiver funcionando, essas pessoas poderem ter emprego garantido aqui na região.

Eu vou dar um exemplo para vocês: 212 mil empregos, prestem atenção, 212 mil empregos serão gerados durante as obras; 200 mil vagas, isso é estimativa, serão abertas na implantação das empresas de segunda geração; 50 mil novas contratações serão feitas quando o Complexo entrar em operação. E não é só o Rio de Janeiro que ganha com isso, o Complexo marca uma nova conquista tecnológica da Petrobras, só comparável ao arrojo e liderança exercidas na exploração em águas profundas. Vejam que interessante: pesquisas da empresa permitirão que o Complexo de Itaboraí, São Gonçalo e região extraía insumos ainda importados parcialmente pelo Brasil como a nafta, por exemplo, diretamente do Petróleo pesado produzido na Bacia de Campos. Isso resultará numa economia da ordem de 2 bilhões de dólares que deixaremos de importar.

O que eu quero dizer para o estado do Rio de Janeiro e para as cidades de Itaboraí, de São Gonçalo e região é que o dia de hoje, sobretudo os adolescentes, eu queria que vocês guardassem o dia de hoje, 14 de junho de 2006, e a gente vai conversar daqui a alguns anos para vocês perceberem que o que está acontecendo hoje, aqui, vai mudar o estado do Rio de Janeiro e vai mudar esta região nos próximos cinco anos. Nos próximos cinco anos, Prefeita, São Gonçalo deixará de ser o “patinho feio” das cidades da região metropolitana do Rio de Janeiro; Itaboraí deixará de ser uma cidade do interior e passará a ser uma referência mundial na produção de produtos que o mundo inteiro quer consumir.”

Pois bem. Passados oito anos desse discurso megalomaníaco do Lula (leia na íntegra aqui), o que vemos de concreto hoje em relação ao Comperj e São Gonçalo? Nada! Absolutamente nada! Nem o Comperj foi inaugurado e tampouco São Gonçalo deixou de ser o "patinho feio" da região metropolitana. O atraso nas obras e a mudança de configuração do projeto (deixou de ser um complexo petroquímico e virou uma refinaria convencional) mostram que o progresso prometido por Lula está muito, mas muito longe de acontecer por essas bandas. Leia abaixo parte do texto de uma matéria da série de reportagens especiais de O Globo intitulada “Comperj – Dilema petroquímico”, em que confirma essa triste perspectiva.

"Uma mudança de configuração que, para o secretário de Desenvolvimento Econômico e Integração com o Comperj de Itaboraí, Luiz Fernando Guimarães, não atrai tantas empresas quanto o esperado.

— Fora a Petrobras, as indústrias estão vindo para Itaboraí por causa do Arco Metropolitano (estrada que ligará a região ao Porto de Itaguaí) ou devido a incentivos fiscais. Economicamente, temos buscado uma compensação do que não houve (com o Comperj), para aquilo que micou, frustrou. Muitas empresas, principalmente as ligadas à petroquímica, não vieram. Ficou um vácuo — afirma Luiz Fernando.

Segundo ele, um estudo da prefeitura em andamento mostrará, inclusive, que o Arco Metropolitano tem significado mais possibilidades para a região do que o Comperj. Também está sendo implementado na cidade o Pólo Industrial Geração II, formado por empresas do ramo industrial, de logística e de serviços. E esse conjunto de iniciativas — incluindo o Comperj, embora com menor peso do que o esperado — levou Itaboraí a registrar 500 novas empresas de 2008 a 2013. Quanto ao complexo petroquímico, diz o secretário Luiz Fernando, ainda há incertezas sobre o real impacto do empreendimento:

— É preciso apagar todos os números anunciados e fazer tudo de novo. Projetaram uma gigante petroquímica. Não vai ter mais uma petroquímica aqui nos próximos anos. Inflaram o projeto, depois esvaziaram. Não tem como medir esse impacto. Escolher Itaboraí para implantar uma refinaria foi importante, fator de desenvolvimento interessantíssimo para a pequena Itaboraí. Mas incomoda essa falta de informação à população. O grande erro está aí. Acho que o órgão de proteção de propaganda e marketing que deveria estar preocupado com isso. Fizeram uma propaganda que não foi verdade.

Ao fazer um balanço do Comperj, o secretário estadual de Desenvolvimento Econômico, Julio Bueno, ressalta que mesmo a instalação de uma única refinaria é “um presente para o estado do Rio”, embora reconheça que o projeto, hoje, gera “bem menos empregos” do que o originalmente previsto:

— Uma refinaria num lugar sem absolutamente nenhum dinamismo econômico é algo espetacular.

Mas sem dúvida as previsões agora são completamente diferentes. O Comperj deixou de ser um polo petroquímico e virou uma refinaria convencional. A conjuntura é outra, o Brasil precisa buscar um preço competitivo do gás natural. Penso, porém, que o país não vai abdicar da petroquímica, e o Comperj é estratégico.

Na avaliação do economista Adriano Pires, mestre em planejamento estratégico pela UFRJ, o governo federal é o responsável pelo “fiasco” do Comperj. Ele é taxativo ao afirmar que as dificuldades financeiras da Petrobras, que está priorizando os investimentos no pré-sal, e a ingerência política na estatal foram determinantes para um desfecho melancólico.

— O grande projeto anunciado era a construção do polo petroquímico, que levaria para o entorno do Comperj empresas de segunda e terceira geração, criando uma grande quantidade de empregos. A refinaria minúscula que efetivamente sairá do papel emprega pouco e é uma indústria poluente. Além disso, todos os investidores estão buscando gás natural quatro vezes barato nos Estados Unidos. E o governo sufoca o caixa da empresa para controlar a inflação. É mais um abacaxi que o governo deixa para a próxima administração — dispara.

Em nota (a empresa não atendeu os pedidos do GLOBO de entrevistas), a Petrobras afirmou que o primeiro trem de refino do Comperj deve entrar em operação em agosto de 2016. Segundo a empresa, é prevista a possibilidade do segundo trem de refino. E as unidades petroquímicas estão sendo avaliadas pela Braskem. Mas diz não ser possível informar no momento a previsão de arrecadação do empreendimento."

Leia na íntegra a matéria especial do jornal O Globo sobre o Comperj aqui.

Que frustração, hein?!? É por essa e outras que eu sempre disse que São Gonçalo não deveria ficar somente na dependência do Comperj para progredir. Espero que o governo Mulim saiba atrair novos investimentos para a cidade. Que não siga o exemplo do governo anterior que foi aliado do atraso. Precisamos avançar imediatamente! São Gonçalo não pode continuar sendo o "patinho feio" da região metropolitana do Estado do Rio de Janeiro!


Ex-presidente Lula ao lado da ex-prefeita Aparecida Panisset no lançamento 
da pedra fundamental do Comperj, em 14/06/2006 
Foto: Michel Filho/Agência O Globo

14 comentários:

  1. Agora entendi porque a linha 3 do metrô que vai ligar Niterói a Itaborai ainda não saiu do papel. Com a inauguração da refinaria adiada para 2016, imagina então quando vai ser construído o metrô? lá para 2030. Isso se o comperj ficar mesmo pronto em 2016, o que acho muito dificil, pois são greves atra´s de greves.

    ResponderExcluir
  2. É o grande elefante branco do Estado do Rio e culpa do PT rsssss

    ResponderExcluir
  3. O Mulim já está seguindo o fiasco da adm passada, senão pior. Governozinho medíocre esse atual. A cidade está abandonada a olhos nus. Só nao ve quem não quer. Quanto ao Comperj, esse oba oba da época nunca me convenceu. Triste por São Gonçalo e Itaboraí. Bruno, Trindade.

    ResponderExcluir
  4. Qual é Bruno? O que o Prefeito Mulim tem a ver com o discurso vazio e o governo do PT com o PMDB que estão a frente dessa palhaçada para dar falsas esperanças de uma São Gonçalo melhor? Deixa o Prefeito trabalhar, ele já tem muitos problemas na Cidade e que em seu Governo não irá resolver já que, o problema vem de vários anos de Prefeitos corruptos que só souberam sugar o Município. Pesquise os nomes dos Prefeitos e seus Partidos e vejam o que fizeram com nossa Cidade. Anos e anos de roubo e péssima administração não serão resolvidos em apenas 4 anos. Acorda! Até o momento vejo o Comperj como algo feito sem planejamento, servindo para promessas eleitoreiras e especulações imobiliárias. A linha do metro de superfície só quando estiver funcionando vou acreditar. O maior problema do nosso Estado foi a instalação de uma corrupção degenerada, negociatas para todos os lados, uma Justiça incapaz de agir com imparcialidade, um País que Presidentes, Governadores e outros políticos tem fórum especial sendo protegidos para não serem responsabilizados por seus atos danosos ao patrimônio público e a população esta fadado ao fracasso e vergonha. Um povo que se satisfaz com migalhas e promessas vis merece o governo que tem. Vou parar por aqui...
    Francisco Neves - Nova Cidade

    ResponderExcluir
  5. PAULINHO DO ALCÂNTARA12 de abril de 2014 12:31

    SÓ DESILUSÃO E NADA MAIS. LULA E PANISSET VENDERAM UMA MENTIRA PRA GENTE. QUE BOM QUE DEUS EXISTE E TIROU OS PANISSET DO PODER. AGORA SÓ FALTA O PT.

    ResponderExcluir
  6. os patinhos cairam na lábia do sapo barbudo kkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

    ResponderExcluir
  7. Caro Francisco Neves, me mostre em que parte da minha declaração eu associei o prefeito Neilton Mulim ao "discurso vazio e o governo do PT com o PMDB? Quando me referi ao Mulim, quis mostrar que ele não vem fazendo uma boa administração como todos nós esperávamos e não venham dizer que ainda está cedo. Logo logo ele chega a metade do mandato e o que temos até agora? NADA!!!!!! Se eu tivesse saído de São Gonçalo a 2 anos atrás e retornado agora totalmente alheio à situação política da cidade, apostaria que a era "Cabelos de Fogo" tinha continuado no poder, tamanha inércia que a cidade vive. Se não fossem os postes, meio fios e prédios públicos em geral pintados de um azul horrível, diga-se de passagem, pode-se homenagear as cores da bandeira da cidade de uma forma muito mais harmoniosa e de bom gosto, acharia que o Mulim nunca havia pisado no gabinete da Prefeitura. Quanto ao Comperj, continuo dizendo que foi um grande "mico" político da era PT, PMDB, PDT, seja lá o que for e não ao pobre Mulin que na época, nem sonhava em ser prefeito da cidade. Bruno, Trindade.

    ResponderExcluir
  8. PAULINHO DO ALCÂNTARA12 de abril de 2014 17:27

    É ISSO AI FRANCISCO NEVES, FALOU TUDO! DEIXA O MULIM TRABALHAR. SÓ QUEM É CEGO QUE NÃO VÊ QUE O HOMEM ESTÁ TRABALHANDO. QUERER QUE ELE TRANSFORME A CIDADE TODA EM 1 E MEIO É QUERER DEMAIS NÉ NÃO? A CABELINHO DE FOGO FICOU 8 ANOS GOVERNANDO E NÃO CONSEGUIU ACABAR COM TODOS OS PROBLEMAS DA CIDADE E COMO É QUE ESSE BRUNO QUER QUE O PREFEITO FAÇA TUDO EM TÃO POUCO TEMPO? VAI PENTEAR MACACO CARA KKKKKKK

    ResponderExcluir
  9. Concordo com o Bruno, pois não vi diferenças que possam ser parabenizadas no atual governo gonçalense. A tal passagem a 1,50...nada,a segurança só piorou, pintou a cidade com um azul tenebroso,sem falar que não fez nada demais nas orlas da cidade e diz que está o ápice a Praia das Pedrinhas. O povo não quer WiFi que mau funciona,posrinhos que não ilumina nada...calçamento,banquinhos e playground já haviam na outra gestão da cabeça de fósforo. O povo quer é uma praia digna de se banhar,quer policiamento em todos os lugares,por que é muita hipocrisia achar que a bandidagem da capital não estão por aqui,queremos escolas públicas mais equipadas e atrativas pros jovens,queremos um piscinão gerenciado pela prefeitura pra que ele seja mais viável a população gonçalense, queremos mais áreas de lazer, cultura e estudos. Uma cidade com o tamanho e poder eleitoral como SG,não pode ficar na promessa e nem tão pouco ter um governante que só vive acusando a gestão passada...pra isso o povo pôs Mulim como prefeito,pra fazer a diferença.mas não está adiantando. Enfim,já deu tempo de ver mudanças além das cores Azul e Branco... Mas ainda só consigo ver o Azul e Branco de diferente na cidade infelizmente!!!

    Sandro-Boa Vista-SG

    ResponderExcluir
  10. O PT só me traz decepções. Agora eu entendo porque ex-petistas como Rachel Sherezade, Lobão, Hélio Bicudo, Chico de Oliveira e tantos outros tomaram asco deste partido. E eu agora também me incluo neste grupo.Não quero me compactuar mais com os erros, desmandos e corrupções do PT. FORA PT!!!

    ResponderExcluir
  11. PAULINHO DO ALCÂNTARA13 de abril de 2014 20:00

    SÃO GONÇALO AINDA NÃO ESTÁ DO JEITO QUE TODO MUNDO GOSTARIA QUE TIVESSE MAS, A VERDADE TAMBÉM É QUE NINGUÉM NUNCA ESTÁ SATISFEITO COM NADA. VAMOS DEIXAR O HOMEM TRABALHAR MINHA GENTE. UM ANO E MEIO É MUITO POUCO TEMPO PARA CONDENAR O TRABALHO DO MULIM. PRA MIM ESSE PESSOAL QUE RECLAMA DO PREFEITO AQUI OU É DA OPOSIÇÃO OU É PORQUE AINDA NÃO FOI BENEFICIADO COM ALGUM CARGOZINHO. EU NÃO TENHO CARGO NA PREFEITURA SOU APENAS UM SIMPLES GONÇALENSE QUE TEM UM PEQUENO COMERCIO E NÃO DEPENDE DE POLITICO PRA NADA. E POR NÃO DEPENDER É QUE FALO MESMO SEM NENHUM INTERESSE QUE PREFIRO MIL VEZES O MULIM DO QUE A CABELO DE FOGO QUE NÃO FEZ NADA. ELA E O MENTIROSO DO LULA É QUE ENGANOU TODO MUNDO DIZENDO QUE SÃO GONÇALO IA SER UMA POTÊNCIA. TAI A GRANDE POTÊNCIA. A CIDADE CONTINUA ATRASADA COMO SEMPRE FOI. É INJUSTO QUERER AGORA CULPAR O MULIM POR TODO O ATRASO QUE A CIDADE VEM VIVENDO A DÉCADAS. O PREFEITO TAMBÉM NÃO TEM CULPA DA PRAIA DAS PEDRINHAS SER POLUIDA MAS, PELO MENOS ELE DEU UMA REVIGORADA NAQUELE LUGAR QUE FICOU ABANDONADO DURANTE O DESGOVERNO DA PANISSET. VAMOS DEIXAR O HOMEM TRABALHAR. SÓ CEGO É QUE NÃO VÊ O TRABALHO QUE ELE ESTÁ FAZENDO PELA CIDADE.

    ResponderExcluir
  12. Sr Prefeito, estamos aguardando a sua promessa de campanha, passagem municipal a R$ 1,50. E por favor, esse azul na cidade inteira está ridiculo.... pq inves de pintar tudo de azul, senhor não realiza uma grande operação tapa-buracos? Precisamos de asfalto de qualidade, ruas sem burracos.... andar em sg parece estar na superfície lunar!!!

    ResponderExcluir
  13. Infelizmente sou obrigado a ver o fiasco do Brasil com bons olhos. Só espero que, desta vez, todos aprendamos a lição. O Comperj é fruto de total falta de planejamento e alvo de insanidades políticas que resvalam do caos que se tornou a Petrobras.

    Se não soubemos aproveitar a fartura, que ao menos aprendamos com a escassez que virá.

    São Gonçalo é só uma consequência do Brasil. Não acho que o problema esteja com Panissets ou Mulins. Está no fato de eles representarem a velha atual política, que se mostra cada vez mais falida.

    Cansado, mas sempre esperançoso.

    ResponderExcluir
  14. O que devemos mudar é mentalidade dos eleitores enquanto estes miseráveis ignorantes forem usados pela velha atual política como massa de manobra, estaremos sempre a mercê deste inescrupulosos senhores políticos incluindo estes insatisfeitos com o caos instalado na Petrobras e consequentemente na Comperj do contrario estariam enchendo seus bolsos de numerários sem se importar com a licitude da origem. Pobres miseráveis acreditam até em Metrô, será mais uma pegadinha do PT.

    ResponderExcluir